Texto: Adriana Araujo

O carnaval continua a todo vapor na cidade e a festa termina oficialmente amanhã, mas os foliões mais animados contam com opções de blocos e festas até o próximo domingo. Para aqueles que pretendem curtir até lá, a personal organizer Débora Monique, criadora da empresa OrganizUp, dá dicas de economia para que o orçamento não fique comprometido após a folia. A primeira é separar uma quantia razoável de dinheiro para cada dia de festa.

“Estipule um valor de quanto vai gastar no dia, assim você não gasta demais e curte a folia tranquilamente. Leve em dinheiro, assim você já sabe que aquilo é o que determinou gastar para curtir o dia”, destaca a profissional. Outra dica de ouro é deixar o cartão do banco em casa: “Evite levar cartão para não cair na tentação de usá-lo e perder na hora do calor dos blocos”, alerta Débora.

Muitos foliões veem no carnaval uma oportunidade de fazer do feriado um negócio, ainda que seja para custear a própria folia. O professor de História, Caio César, resolveu investir na venda de alcoolés, sacolés de drinks alcoólicos, durante os blocos que frequenta. “Há dois carnavais eu vendo alcoolés. Fizemos para consumo próprio e para vender. Um custa R$3,00 e dois são R$5,00. O lucro das vendas irá custear nossas passagens, água e comida”, diz o morador de Campo Grande, que, no carnaval passado, chegou a arrecadar R$300,00, além dos gastos nos quatro dias de festa.

Outra dica importante é se planejar com antecedência e utilizar transporte público para se locomover de um bloco a outro. “Ir de transporte público é uma boa opção para não ter gasto com estacionamento e não ter que dirigir depois de beber. Ir de carro ao carnaval é uma grande furada”, esclarece a personal organizer, Débora Monique.

Caio César sempre planeja antes com os amigos a rota dos blocos que irão seguir, o que economiza tempo e dinheiro: “Para evitar contratempos e gastos desnecessários, sempre planejamos os blocos que iremos e traçamos o caminho mais barato. Ficar perdido atrás de bloco custa tempo e dinheiro”, aconselha.

Outro aspecto fundamental do carnaval é a fantasia. Em tempos de crise, a solução, segundo Débora, é a criatividade do folião: “No carnaval, a originalidade e a criatividade fazem a diferença, então seja criativo! Se for pular em blocos, opte por customizar e seja original, isso faz a diferença. Sai bem mais barato customizar do que uma usar uma fantasia comprada. Se optar por fantasia na ultima hora, você pagará pela facilidade de ter algo rápido e pronto sem ter que se preocupar, porém é mais caro”, alerta a consultora.

Imagem: Pixabay