Primeira lona instalada na cidade, a Lona Cultural Elza Osborne nasceu de uma experiência na cidade de Divinópolis, em Minas Gerais, onde Ives Macena coordenou um projeto semelhante para o Ministério da Educação. A Lona Cultural foi instalada em 1993, onde já funcionava o Teatro de Arena Elza Osborne.

“O objetivo da lona era na época atender a uma demanda de artistas e público que não dispunham de espaços alternativos para produzir, assistir e/ou participar de tais eventos, objetivo que seguimos até os dias de hoje”, afirma Ives Macena, gestor cultural do espaço.

Desde 2013, a Lona sofre com a redução da frequência de público por determinação do poder público, inviabilizando a manutenção dos grandes shows que aconteciam no espaço. Ives conta que a comunidade cobra e que desconhece a determinação. Além das apresentações de teatro e shows, há ainda, no espaço, turmas de teatro, danças cigana e do ventre, artes visuais, hip-hop, grafite, desenho e violão. Todas as atividades são oferecidas sem custo e destinadas à comunidade. Ainda segundo Ives, através de parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do CECOZO (Centro de Convivência da Zona Oeste), existem oficinas destinadas aos portadores de necessidades especiais.

“Hoje cerca de 180 famílias participam diretamente das ações da Lona Cultural, é nela onde a comunidade artística da região tem vez, voz e voto. Nossa Lona está entre os mais frequentados espaços públicos ou ligados à administração pública do Rio de Janeiro”, conta Ives.

A Lona está aberta diariamente para receber as demandas da comunidade. Para saber mais sobre como participar de alguma das atividades oferecidas, basta entrar em contato através do e-mail (lonacultural@lonacultural.com.br) ou pelo telefone (2413-2255).

Dentre as próximas apresentações, estão previstas: Guilherme Lemos (25/03); Jenny Rocha (08/04); Eliana Printes e Banda (20/04); e o humorista Pedro Manso (13/05).

Foto: Divulgação