Texto: Adriana Araujo

Nesta segunda-feira, 5 de junho, é celebrado o dia do Meio Ambiente. Visando incentivar a cultura do desenvolvimento sustentável na região da Zona Oeste, o Instituto Permacultura Lab, sediado em Campo Grande, desenvolve ações como recuperação de áreas abandonadas e incentivo da agricultura urbana, buscando a resolução de problemas sociais e ambientais por meio da permacultura.

“Permacultura é um sistema de planejamento para a criação de ambientes humanos sustentáveis e produtivos em equilíbrio com a natureza. O nome  permacultura significa cultura permanente, ou seja, uma cultura que visa que a nossa permanência no planeta seja sustentável”, define a bacharel em Ciências Biológicas, Ana Souza, membro do Instituto.

Entre as ações do Instituto estão projetos de restauração ambiental por meio de sistemas agroflorestais, paisagismo agroecológico, agricultura urbana, educação ambiental etc. Os projetos de restauração feitos em praças e escolas públicas são custeados pelo Instituto Permacultura Lab, mas empresas e pessoas interessadas em restauração para suas casas ou empresas podem solicitar orçamento do serviço junto ao Instituto.

Uma das atividades de grande impacto realizada pelo projeto foi a “Agrofloresta Urbana”, na Praça Marechal Edgar do Amaral, mais conhecida como Praça do Pistão, onde foram cultivadas espécies com fins alimentícios (frutas, legumes e temperos). “No Pistão, já foram organizados três mutirões que atraíram pessoas de diversos bairros da Zona Oeste e até moradores do outras cidades. Cada vez mais vemos o envolvimento das pessoas que moram próximo à praça com o projeto. Hoje, a atividade já é pensada também como local para aulas práticas, cursos, oficinas e vivências”, detalha o doutor em Ecologia e Evolução, Saulo Jacques, que também faz parte da equipe do projeto.

Segundo Ana Souza, a implantação de um projeto de agrofloresta para a região é uma possibilidade de restauração do ambiente e integração social da comunidade local: “Ao implementar a agrofloresta no Pistão estamos permitindo que haja uma produção local de alimentos sem custos, onde a população pode plantar o quanto quiser, ao mesmo tempo que estamos promovendo a restauração ambiental do espaço urbano. A importância que o projeto possui para o bairro é de criar um espaço social e ambiental mais agradável, onde as pessoas podem interagir umas com as outras, com a terra e se envolver com a produção do alimento de maneira mais sustentável”, declara.

O Instituto Permacultura Lab é uma frente de atuação na Zona Oeste em busca em de um desenvolvimento mais sustentável para Campo Grande e trazendo mais qualidade de vida a todos da região por meio da conscientização. “Projetos como o nosso tem o objetivo de quebrar os padrões de consumo e produção atual, fazendo com que as pessoas pensem criticamente sobre a realidade que estamos enfrentando, agroindústrias desmatando e aniquilando povos tradicionais em busca de terras, aumento da poluição e doenças. Para nós fica clara a importância da mobilização de pessoas para pensar novas formas de produção, consumo e relação com a natureza”, finaliza o especialista em Ecologia, Saulo Jacques.

Aqueles que se interessaram pelo projeto de agroflorestamento podem participar do próximo mutirão na Praça do Pistão, que acontece no próximo domingo, dia 11, das 9h às 15h. Mais detalhes sobre o evento estão disponíveis em: https: facebook.com/events.

Imagem: Permacultura Lab