No final deste domingo, 6, uma tentativa de homicídio assustou moradores de Campo Grande. O incidente aconteceu próximo ao restaurante Boutique de Carnes Mr Ox. Segundo o dono do estabelecimento, que preferiu não se identificar, quatro indivíduos portando fuzis chegaram ao local e alvejaram o carro de um homem, após a saída dele do restaurante. Não houve mortes, mas pessoas que estavam dentro do veículo foram atingidas.

O dono do restaurante relata o ocorrido: “O homem chegou por volta de 23h30. A loja já tinha encerrado. Ele já estava bêbado. Provavelmente o seguiram de outro lugar. Quando ele foi sair, aconteceu o atentado. Vi comentários de que morreram pessoas, o que não é verdade. Clientes não foram atingidos. Os atingidos estavam com ele [o alvo do ataque]”, conta o empresário.

O atentado ocorrido em Campo Grande é mais um dos muitos atos de violência que atingem a cidade e o estado do Rio de Janeiro. Neste domingo, mesma data do incidente, o presidente Michel Temer, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, divulgaram vídeos sobre o Plano Nacional de Segurança, que contará com ações no estado do Rio de Janeiro, por meio da presença de forças federais em conjunto com as forças estaduais e municipais, visando diminuir a criminalidade. A atuação do Plano de Segurança está prevista até 31 de dezembro, mas há intenção de estendimento para o ano que vem.

Por enquanto, as ações do Plano de Segurança ainda não chegaram a Campo Grande, e assim como o resto da cidade, o bairro vive diariamente o aumento da violência. “O que muita gente tarda em assumir é que, infelizmente, vivemos numa guerra urbana. Tiros são disparados em praças de alimentação de shopping, bares etc. Crianças são atingidas dentro do carro dos pais, em briga de trânsito, e até no ventre da mãe já não se está livre de uma bala perdida. Se existe culpado é a falta de segurança em nosso estado. As pessoas se tornam cada vez mais reféns da criminalidade e já não estamos seguros nem mesmo dentro de casa”, avalia o dono do estabelecimento.

A falta de segurança na região não é sentida só por comerciantes. Moradores do bairro também relatam o medo de ir e vir diariamente, devido a violência no local. “[A segurança] está bem precária. Atravesso a estrada do Monteiro todos os dias após as 18 horas e é uma escuridão que me dá medo, porque ajuda na ação de criminosos. Entro no meu prédio de madrugada bem receosa”, relata Márcia Beatriz Meireles, moradora da estrada do Monteiro, perto do estabelecimento onde ocorreu a tentativa de homicídio.

Apesar do susto diante do ocorrido, o proprietário do Mr Ox conta que o estabelecimento continuará com funcionamento normal. “Não vamos nos acovardar diante disso. A Mr Ox segue com sua agenda normal de gastronomia e entretenimento. A vontade é de fechar o estabelecimento, mas lembramos que são quase 60 funcionários diretos e indiretos e outros tantos fornecedores que dependem de nossos serviços. Trouxemos cultura e gastronomia de alto nível pro nosso bairro, e esse tipo de ocorrência não pode ser maior que nossa vontade de continuar”, conclui.

Procurada, a Polícia Civil informou que as investigações sobre o caso estão em andamento na 35ª DP (Campo Grande).

Imagem: Pixabay