A Feira Orgânica do Rio da Prata, organizada pela Associação de Agricultores Orgânicos da Pedra Branca (Agroprata), que funciona desde 2014 no Espaço Farol da Prata, oferece produtos orgânicos certificados produzidos, em sua maioria, na região da Serra do Rio da Prata por 28 produtores. Destes, cinco estão presentes na feira orgânica todos os domingos. Além dos produtos orgânicos, é possível encontrar mel, suco verde detox e mudas de plantas de boa procedência no local. “A feira surgiu da necessidade de tornar conhecida a Associação na nossa área de atuação, pois já éramos conhecidos em muitos lugares, até mesmo fora do País, e não éramos conhecidos na nossa região”, conta Rita Caseiro, diretora-executiva da instituição.

Os alimentos orgânicos costumam ter valores mais elevados que os oferecidos em feiras populares comuns. Rita Caseiro explica o porquê desse aumento. “Infelizmente, ainda há uma diferença de preços entre o alimento orgânico e o não orgânico. Isso acontece porque não existe nenhum tipo de incentivo por parte do governo para a produção de alimento orgânico, então toda a produção é muito difícil, rigorosa, com uma legislação muito fechada. Quem utiliza agrotóxicos tem descontos, mas quem produz orgânico não tem nenhum tipo de desconto ou incentivo, muito pelo contrário, é muito difícil encontrar no mercado sementes orgânicas, insumos, é muito raro conseguir, por isso, o produto se torna mais caro, pela dificuldade de produzir, porque não se usa agrotóxicos e pesticidas pra espantar insetos, e respeita-se o tempo da natureza, são alimentos sazonais, produzidos no tempo correto do alimento”, explica Rita Caseiro.

A feira tem como objetivo principal a divulgação da cultura dos alimentos orgânicos e reúne em torno de 200 a 300 pessoas a cada dia de realização. “A importância da feira é a divulgação do alimento orgânico, para que ele seja mais conhecido. Quem produz tem a certeza de estar produzindo saúde pra quem consome, o produtor não está prejudicando sua própria saúde, não está prejudicando o meio ambiente, na produção não é utilizada mão-de-obra escrava, nem trabalho infantil forçado. Há uma série de conceitos por trás da agricultura orgânica. As feiras orgânicas são muito conhecidas e divulgadas na Zona Sul, pois os moradores de lá já consomem bastante esse tipo de alimento, na Zona Oeste nem tanto, então a iniciativa é muito importante para nossa região, por ser algo novo. Nós pretendemos futuramente ter outros pontos de venda em outros locais, além da feira”, conta Rita.

Segundo a diretora-executiva da Associação de Agricultores Orgânicos da Pedra Branca, Rita Caseiro, a Agroprata é a primeira associação de agricultores orgânicos do município Rio de Janeiro, com atuação há 15 anos, e faz parte do Circuito Carioca de Feiras Orgânicas da Zona Sul, onde são responsáveis pelo fornecimento de banana, caqui e aipim orgânicos.

Para mais informações, acompanhe a página Feira Orgânica do Rio da Prata no Facebook: facebook.com/feiraorganicariodaprata.

 

Serviço: 

Feira Orgânica do Rio da Prata

Funcionamento: Domingos, de 7h às 14h

Endereço: Espaço Farol da Prata – Estrada da Batalha, nº 202, Campo Grande.

 

Imagem: Pixabay